As Pegadas – Tópico 3


by

Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos (1Pedro 2.21).

O que Pedro escreveu ao longo de sua epístola, está em desacordo com uma boa parte da teologia moderna. O texto acima começa informando aos leitores de Pedro que Deus não só está plenamente consciente de seu sofrimento, como também indica que eles “foram chamados para este propósito”, e ainda acrescenta algo importante: este é um aspecto da caminhada cristã. Literalmente, a frase diz: “Porquanto para isto mesmo fostes chamados.Isto” refere-se a perseverante resistência que se faz necessário quando o cristão sofre injustamente. Como sempre, Pedro reforçou o que escrevia usando Jesus como exemplo e como base de motivação. Jesus sofreu por vocês! Ele não somente sofreu “por” vocês; Ele sofreu em lugar de vocês. Uma coisa é sofrer para que alguém receba o benefício, como por exemplo trabalhar à exaustão pelo bem da família. Outra coisa, porém, é intervir e receber o castigo mortal em lugar de outra pessoa, para que esta não seja punida. Sim, isto foi o que Cristo fez por nós. Tomou o nosso lugar e levou sobre Si mesmo o castigo e a dor que eram destinados a todos nós, como consequência dos nossos pecados.

A outra frase do texto: “deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, também possui uma grande importância para compreensão da dor. Por exemplo, “deixando-vos exemplo” corresponde a “deixar atrás”, o que conecta diretamente com “Cristo sofreu”.  Isto indica que, o que foi “deixado atrás”, possui consequências para os cristãos na atualidade. Nada mudou! Então, o que Jesus deixa atrás? Deixa um exemplo a seguir. A palavra que Pedro usou para “exemplo” no grego é hypogrammon. Interessante saber que esta palavra fazia alusão à letra que um estudante, aprendendo a escrever, seguia como modelo para copiar. O aprendiz colocava a pena cuidadosamente em cima das letras tratando de aproximar o melhor possível do “exemplo” que seguia. Alguns afirmam que, com o passar dos anos, a palavra passou também a expressar de forma figurada a um modelo de conduta que alguém devia imitar. Desta forma, entendemos que Jesus nos deixa um primeiro esboço que devemos completar. A seguir, o Salvador pinta os detalhes de nossa vida individual com as cores e tons que Ele deseja, sabendo que todos são tratados com precisão e cuidado que somente Ele pode ter. Paulo apresentou o mesmo conceito em Efésios 2.10, onde descreveu os crentes em Cristo como “feitura” sua, correspondendo no grego como uma obra de arte. Isto pode dar-nos uma ideia do porque do sofrimento variar tanto entre aqueles a quem Deus comprou por meio do sacrifício de Jesus. É bom recordar, todavia, que as cores que o Senhor usa em cada pessoa, nunca serão iguais. Afinal, só para completar o entendimento, Deus nunca produz em massa Suas obras-primas.

Para encerrar, um pequeno resumo: No texto, temos Jesus sofrendo em nosso lugar (não somente por nós), e deixando (tempo presente) um exemplo hypogrammon (um esboço específico, como aquele dos alunos) para que sigamos como modelo. Logo avançando, o que Pedro escreve é crucial: Temos que seguir os seus passos (suas pegadas), o exemplo que Jesus deixa. O que Pedro aponta, não significa seguir ao lado de Jesus. Tampouco, fala do Senhor caminhando conosco e levando a cada um de nós em Seus braços nos momentos mais difíceis da vida. Observe, no entanto, que o Espírito Santo, por meio do apóstolo, nos chama a andar “sobre” o exemplo que Jesus deixou, especificamente, para cada um de nós. Quem está disposto? Reflita!

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts