Koinonia – Tópico 6


by

Para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte (Filipenses 3.10).

Já dissemos anteriormente que Paulo desejava conhecer a Cristo de maneira mais profunda e, neste versículo, ele afirma que na estrada do conhecimento do Salvador, há duas pontes pelas quais se deve passar: a “do poder da Sua ressurreição e a “da comunhão ou participação dos Seus sofrimentos.” Todos desejam o poder da sua ressurreição, mas a questão é que ninguém quer atravessar a ponte da participação dos seus sofrimentos, não importando o tamanho dessa ponte, seja ela pequena, média ou grande. Faço essa menção, para esclarecer que o tamanho da ponte, não significa a intensidade do sofrimento, mas o tempo dentro dele.

Mas há, contudo, outra indagação: O que significa exatamente a “participação dos Seus sofrimentos?” De um modo bem simples, podemos afirmar que se constitui em conhece-Lo melhor, saber mais sobre Ele. Explico:  Há um exemplo muito próximo de todos nós: nossa família! Quantos de nós não compreendíamos os nossos pais e, ainda por cima, reclamávamos deles? Todavia, quando chegamos a ser pais, passamos a entende-los melhor. Ao vivenciar a mesma experiência que eles, conhecemos coisas que nunca havíamos experimentado antes, e, desta maneira, a nossa compreensão é muito maior. Agora, de fato, sabemos o que é o amor sacrificial que envolve a criação de um filho. Antes, não fazíamos ideia do que era isso. Pergunto: você já passou por essa experiência?

Quando experimentamos um sofrimento, muitas vezes, – para não dizer sempre – fazemos várias indagações ao Senhor. Não obstante, ao continuar na travessia da ponte da participação dos Seus sofrimentos, conhecemos o que Ele sentiu. Nesse quesito, nós O entendemos melhor e adquirimos um apreço e uma definição mais clara do Seu amor. Penso que, com o exemplo dos pais, você consegue entender com mais perfeição o sentido da participação dos Seus sofrimentos. Quando Paulo tocou nesse assunto, ele mostrou que o sofrimento por Jesus, tem como objetivo, conhece-Lo de modo mais profundo.

Para finalizar, relembro que no capítulo 1, verso 29, o apóstolo afirma que esse sofrimento é um presente de Deus, dado por graça. Será que, agora, não está claro para nós esse entendimento? Conhecer a Jesus por experiência, vai envolver o seu amor, sua paixão pelo reino e o seu desapego pelas coisas desta vida. Como sempre, termino com uma pergunta: Quem deseja conhecer a Jesus mais e mais? 

Que o Espírito de Deus desperte o seu coração com um tremendo desejo de conhecer mais e mais a Cristo.

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts