Sentença de morte.


by

“Quando Mardoqueu soube tudo quanto se havia passado, rasgou Mardoqueu as suas vestes, e vestiu-se de um pano de saco com cinza, e saiu pelo meio da cidade, e clamou com grande e amargo clamor” (Ester 4.1:). 

O que estava acontecendo? Havia sido publicado um edito por parte do rei sentenciando os judeus à morte. Quando Mardoqueu (Mordecai) soube disso, se humilhou rasgando as suas vestes e se cobrindo com pano de saco e com cinzas. O que isto nos ensina? Olho em outra direção em pleno século XXI. Quantas pessoas não estão sentenciadas à morte nos dias de hoje? Sem dúvida, uma multidão sem conta.

No entanto, não me refiro à sentença de morte física, mas à morte espiritual. Essas pessoas não foram sentenciadas numa corte, por um tribunal humano, mas por elas mesmas e, quem sabe, por você, que é cristão. Por mim? Essa indagação é respondida quando você não comunica e nem testemunha das boas novas aos outros. Milhares de pessoas estão indo para o inferno todos os dias. Imagine que a cada segundo, três pessoas ao redor do mundo partem para a eternidade. VOCÊ, QUE FAZ PARTE DO CORPO DE CRISTO, O QUE TEM FEITO? Tem pregado a Palavra? Tem chorado diante de Deus por vidas? Tem vivido uma vida de testemunho marcante para outras pessoas? 

Sobre todo cristão pesa a responsabilidade de comunicar as boas novas do evangelho, e não somente isso, mas, sobretudo, viver e testemunhar ao mundo o amor com que Deus nos tem amado. 

Ao refletir sobre o assunto, permita que o Espírito Santo ministre ao seu coração. 

Que Deus te abençoe! 

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *