Queixas e murmurações.


by

Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros, para que não sejais condenados. Eis que o juiz está à porta (Tiago 5:9).

Quando Tiago escreveu esse versículo, provavelmente sabia que alguns, entre os pobres que sofriam a extorsão por parte dos ricos, estavam se queixando dos mesmos. Essa condição produzia uma forma de murmuração já condenada antes, no verso 11 do capítulo 4. O modo de viver do cristão, em qualquer situação, deve ser sempre aquele que demonstra o amor fraternal, o qual impede a manifestação de queixa contra os irmãos. O verbo queixar, no original, carrega o sentido de gemer, suspirar, lamentar e murmurar. Desta forma, a frase “não vos queixeis” indica um modo amargo de queixa contra os outros. A exortação de Tiago é consistente com a figura que ele usou antes, ou seja, a figura do lavrador. Assim, da mesma maneira que o lavrador não se queixa quando a chuva não vem quando ele quer, pelo contrário, com paciência a espera, também o crente em Cristo não deve queixar-se amargamente pelas ações que outros lhe causam. Ele, em meio às provas, sem lamentos ressentidos, simplesmente clama e entrega a sua causa Àquele que julga retamente, enquanto segue fazendo o bem (1 Pedro 4:19). O não se queixar, é a expressão visível da paciência na vida do servo de Deus. De modo contrário, quando se perde a paciência, começam as queixas e murmurações. As queixas são irmãs das críticas e representam o oposto de uma vida que se alegra constantemente no Senhor (Filipenses 4:4).

Talvez, aqueles queixosos poderiam rebater Tiago, afirmando que ele não sabia a dimensão das dificuldades que lhes oprimiam. No entanto, Tiago lhes dá uma razão contundente para que eles não se queixassem: “para que não sejais condenados”. Quem se queixa, julga as atitudes de outros, e assim, se estabelece como juiz. Portanto, o autor assevera que tal pessoa não pode esperar outra coisa senão o juízo, haja vista ter assumido a condição de juiz, sem direito algum de sê-lo. Além disso, o Juiz está à porta. No versículo anterior, o autor se referiu à iminente vinda de Cristo. Quando Ele voltar julgará o mundo e, assim sendo, as queixas não têm razão de ser na vida daqueles que esperam o Seu retorno. A frase, eis que está à porta, possui o sentido de chegada a qualquer momento e aqui se refere a Jesus, a quem, pela vontade do Pai, foi constituído como único Juiz (João 5:22). Por que se queixar se Aquele que julga justamente está ponto de manifestar-Se? A vinda do Senhor está prestes a acontecer e, sendo assim, o Juiz está à porta.

Finalmente, é preciso observar e lembrar que o cristão é chamado a viver de forma diferente do mundo. Ele, ao invés de murmurar, lamentar e se queixar dos irmãos, deve suportá-los em amor e ajuda-los a levar a carga uns dos outros, cumprindo assim a lei de Cristo (Gálatas 6:2).

Momento de Reflexão: Muitos estão acostumados às queixas e às murmurações e isto, parece até um hábito de vida. Todavia, não aprendemos assim (Efésios 4:20). Aqueles que estão em Cristo, deixaram a velha vida para se revestir da nova. Portanto, queixas e murmurações ficaram para trás. Com você é assim?

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.