A glória do Rei!


by

Eis que dois varões falavam com ele: Moisés e Elias, os quais apareceram em glória e falavam da sua partida, que ele estava para cumprir em Jerusalém (Lucas 9:30-31).

Lucas registra que Moisés e Elias falavam a respeito da partida de Jesus, que estava por acontecer em breve em Jerusalém. Alguns estudiosos consideram que os dois profetas estavam instruindo a Jesus acerca do que o esperava em relação à cruz.  No entanto, para mim, acho que não era este o caso. Jesus havia anunciado anteriormente a sua morte, seu sepultamento e sua ressurreição. Assim sendo, sabia o que lhe esperava e o que devia fazer. Uma vez que Pedro, Tiago e João dormiram, não temos detalhes daquela conversa entre Jesus e os dois heróis do Velho Testamento.

Não obstante, surge a pergunta: Por que Deus reuniu estes cinco personagens com Jesus no Monte da Transfiguração? Tal qual em outras questões, simplesmente acrescentaríamos parte da resposta: Porque Ele é Deus e faz o que deseja. Poderia também adicionar que Moisés e Elias representavam a Lei e os Profetas e à parte disso, encontrar outras razões.

Será que poderíamos caminhar em outra trilha e afirmar que para Moisés, era mais uma forma do cumprimento da promessa de Deus, e não só a petição “mostra-me a tua glória?” (Êxodo 33:18). Lembremo-nos da promessa no versículo 19: Respondeu-lhe: Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do SENHOR; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer. Naquele momento Moisés contemplaria a glória de Deus na pessoa de Jesus. “Toda minha bondade” passou diante dele na pessoa do Senhor Jesus, como, na realidade, havia feito no Antigo Testamento.

Para o desanimado profeta Elias, Deus havia demonstrado no Antigo Testamento três elementos de poder e, em cada ocasião, Ele não estava no poder demonstrado (1 Reis 19:11-12). Após mostrar a Elias o que não era, Deus, agora, na Transfiguração, revela quem era, em Sua glória. Talvez Elias o reconheceu como o Anjo do Senhor que lhe ministrara séculos antes. Deus não estava presente naquela demonstração de poder que havia passado diante de Elias, mas estava presente na antecipação do poder do Rei e de Seu reino vindouro. Paulo o entendeu assim. Em 1 Coríntios 1:24, descreve Jesus como “poder de Deus e sabedoria de Deus”. Moisés viu a glória, Elias viu uma projeção do poder, todavia, Deus manifestou ambos na pessoa de Jesus. Glória a Deus!

Momento de Reflexão: Pedro, Tiago e João jamais se esqueceriam do que viram naquele monte, isto é, da glória resplandecente de Jesus. No entanto, quantos de nós, cristãos comprometidos com Deus, podemos realmente declarar que fomos impactados por termos visto, com os olhos do espírito, a glória do Senhor? Se isto for uma realidade em sua vida, então, o mundo perdeu o brilho para você.

Em Cristo Jesus, o Senhor da glória,

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.