Lugares Altos


by

Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra (Oséias 6:3).

Quando as pessoas conhecem a Cristo, naturalmente precisam crescer. Ao refletir sobre o assunto, ponderei o seguinte: algumas conseguem um crescimento rápido, enquanto outras são mais lentas e ainda outras costumam ficar sempre no raso. Aliás, o escritor de Hebreus, ao tratar do assunto, chama a atenção do cristão quanto ao tema:

Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.  Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal ” (Hebreus 5:12-14).

Após lermos essa admoestação, devemos fazer um autoexame ou uma autoavaliação da nossa vida cristã. Há quanto tempo você caminha na trilha do evangelho?  Dependendo da sua resposta, há, pelo menos, uma outra pergunta: Você já leu a Bíblia toda? Ao procedermos o exame de nossas vidas, é preciso ter em mente que, após conhecermos a Cristo, há certos níveis que precisamos galgar em nossa relação com o Senhor.

Para ajudar você em sua avaliação, imaginei um edifício. Assim sendo, constatamos que alguns cristãos vivem no subsolo da experiência cristã, apenas dentro do edifício, mas no lugar onde quase não há luz, pelo contrário, esse nível é envolvido por uma atmosfera lúgubre e triste. É possível um cristão viver aí? Sim, conheço pessoas que afirmaram sua fé em Jesus, mas vivem sem expressar alegria e vitória.

Outros, abandonaram o subsolo e  subiram um pouco mais, todavia, vivem nos primeiros pisos. Alguma medida de luz adentrou em sua habitação, mas a perspectiva que possuem é das circunstâncias que as rodeiam. Vivem muito próximos do mundo e ouvindo o seu ruído. São atraídos pelo brilho e pelas bandejas que o presente século lhes oferece. Essas pessoas estão na igreja, mas vivem sempre em um conflito interior, pois amam a vida passageira e não estão dispostas à renúncia de si mesmas.

Um outro grupo, no entanto, vive na parte mais alta. Vive na cobertura! Lá, a luz e o calor do sol banham todos os compartimentos. O barulho e as atrações do mundo das ruas não os alcançam. O ar é mais puro. A perspectiva que possuem inclui os céus azuis e as montanhas distantes. Estes vivem acima do mundo, escondidos com Cristo em Deus. É neste elevado reino que Deus quer que vivam os Seus filhos. Conseguiu entender o exemplo do edifício?

Momento de Reflexão: Meu objetivo é estimular você a viver nos lugares altos e a não se contentar com a mesmice espiritual do subsolo e dos primeiro pisos. A propósito, após a avaliação, em que nível do edifício você habita?

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.