Por que Deus nos chama à oração?


by

A pergunta tema deste editorial deveria despertar os sentidos da igreja com relação à oração, haja vista que há muita negligência nessa área. Já escrevi anteriormente sobre o tema, entretanto, não havia considerado algumas questões que acho, no mínimo, intrigantes e também relevantes. Em primeiro lugar, devo confessar que não tenho muitas respostas, mas aquelas que possuo me fazem descansar. Bem, este parágrafo é apenas uma introdução a um assunto que me suscita tanta atenção. Caminhemos juntos nessa trilha.

Inicio com questões que rondam a minha mente. Primeiro; sendo Deus o Criador e Soberano do universo, e também sendo Aquele que detém todo poder, por que Ele não realiza certas coisas sem a participação direta dos Seus filhos? Vou tomar apenas alguns episódios bíblicos para expor o assunto. Em Gênesis 20, temos algo que nos convida à reflexão. Abraão estava na cidade de Gerar e mentiu dizendo que Sara, sua mulher, era sua irmã. Com isso, o rei de Gerar, Abimeleque, mandou buscá-la. O verso 3 nos informa que Deus, em sonhos, lhe disse que ele ia ser punido de morte por causa de Sara, mulher de Abraão. O verso 4 diz que ele não havia se deitado com ela, de modo que o rei pergunta ao Senhor: matarás até uma nação inocente? No verso seguinte, ele se defende dizendo que Abraão havia dito que Sara era sua irmã, ao que ele emenda afirmando que, com sinceridade de coração ele a tomou e o fez na inocência. Agora, vem o mais espantoso: No verso 6 Deus diz: Bem sei que com sinceridade de coração fizeste isso, daí o ter impedido eu de pecares contra mim e não permiti que a tocasses. Em seguida, lhe ordena: agora, pois, restitui a mulher ao seu marido. Me encho de assombro com a sequência, ao ler a afirmação do Senhor: …pois ele é profeta e intercederá por ti, e viverás… aqui, pois, começa o mistério. Uma vez que Deus sabia da inocência e da sinceridade de Abimeleque, por que não o curou naquele momento? Por que Abraão teria que interceder por Abimeleque se, na verdade, ele era o responsável direto por aquela situação?

Antes de buscarmos uma resposta, vamos ao Novo Testamento e tomamos Paulo como exemplo. O Senhor disse no verso quinze de Atos 9, que Paulo era um vaso escolhido para levar a mensagem do evangelho aos gentios e também para ser testemunha viva do Altíssimo entre os filhos de Israel. Ora, se o apóstolo já havia sido escolhido e enviado por Deus, por que, então, ele pede oração em diversas cartas que escreve às igrejas, para que a porta da Palavra lhe seja aberta? O Senhor que havia, de antemão, o escolhido, não tinha tudo acertado para que Paulo pregasse e testemunhasse do evangelho, percorrendo um caminho totalmente desembaraçado? Seria interessante você conferir em sua Bíblia algumas passagens onde o apóstolo pede orações em seu favor. Dentre elas, temos: Romanos 15.30-32; Efésios 6:19; Filipenses 1:19; 1 Tessalonicenses 5:25;; 2 Tessalonicenses 3:1; Filemom, verso 22.

Nas Escrituras temos vários textos relativos à oração. Cito alguns como exemplo, mas faço algumas perguntas sobre eles: Por que orar pedindo que venha o Reino, já que isto está no coração de Deus e vai acontecer de qualquer forma? Por que orar pedindo que a vontade de Deus seja feita na terra como é feita no céu, uma vez que o nosso Pai Celestial é Soberano, Poderoso e Senhor de tudo? (Mateus 6:10). Por que orar pelos irmãos em Cristo se todos eles estão debaixo do cuidado de Deus? (Colossenses 1:9; 1 Tessalonicenses 5:25; Tiago 5:16;). Por que interceder por governos e autoridades se muitos deles são quase uma personificação demoníaca (Hitler)? (1 Timóteo 2.2). Por que interceder por todos os homens? (1 Timóteo 2.1). Diante dessas interrogações, o que passa pela sua mente? Finalizando, faço algumas observações para ajudar-nos a compreender um pouco mais sobre o tema:

Em primeiro lugar, é preciso entender que Deus nos deu a oração como uma ferramenta relacional, e também como um elemento que impulsiona a nossa fé. Quando temos um momento diário de oração e meditação nas Escrituras, crescemos em nossa relação com o Pai. Na oração você fala, enquanto Deus ouve e responde (1 Pedro 3.12). Em segundo lugar, a oração está inserida na armadura do cristão relatada em Efésios 6. Nossa luta não é contra a carne e sangue, mas sim contra o mundo espiritual maligno organizado. Depois de vestir toda a armadura, o cristão deve se pôr em oração e combater as hostes espirituais da maldade. Essas mesmas hostes que se levantam em oposição a nós, ao evangelho que salva e liberta e ao próprio Deus para que a Sua vontade não seja feita na terra. Em terceiro e último lugar, ao verificarmos as passagens bíblicas, constatamos que a oração é o processo que Deus usa para que sejamos inseridos como participantes do projeto que o Senhor mesmo elaborou. Ele quer salvar, mas precisamos orar. Ele quer libertar, mas precisamos interceder. Sem nós, Ele pode todas as coisas, contudo; sem nós, Ele não quer.

Para terminar, destaco uma realidade: se a maioria dos cristãos compreendesse um pouco mais sobre o poder da oração, não haveria tanta displicência nessa área. Como cristão, quanto tempo você gasta nessa prática todos os dias?

No amor de Cristo Jesus,

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *