Um contraponto às tribulações


by

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós (1 Pedro 1:3-4).

Pedro começou sua primeira epístola destacando o amplo contraste entre o temporal e o eterno. Enfatizo este ponto, pois, aqueles que consideram que Deus tem a obrigação de dar-lhes o paraíso na terra, não possuem o conceito da perspectiva de Pedro, mas, é bom lembrar que foi o Espírito Santo que o inspirou a escrever. O apóstolo se referiu aos cristãos como expatriados, ou seja, a pessoas que não sentem que este mundo seja o seu lar (verso 1). Dirige seu foco, todavia, às moradas eternas com Jesus. Procura lembrar-lhes a grandeza da salvação que possuem, referindo-se a ela em ordem cronológica inversa. Começa com o futuro, porque é aí onde os cristãos farão da esperança, literalmente, uma realidade presente. No futuro, há uma herança incontaminada e incorruptível que está reservada para eles no céu; uma recompensa de um valor incomparavelmente maior do que tudo aquilo que o mundo pode oferecer (1 Pedro 1:3-5).

Ainda que as tribulações fossem extremamente severas para os leitores de Pedro, qualquer coisa que suportassem ou perdessem neste mundo, não poderiam ser comparadas com as bênçãos e a glória que os esperariam na cidade eterna. Para nós, não é diferente, pois as promessas de Deus são para todos os seus filhos. De fato, a salvação que os cristãos possuem é de tal magnitude, que os anjos desejam bem atentar (verso 12). Os anjos veem tudo aquilo que o mundo pode oferecer: poder, glória, beleza, riquezas, prazer e fama. Não obstante, é a nossa salvação que os intriga. Para dizer com mais clareza, se você pudesse conversar com um anjo, e se Deus o permitisse, o anjo negociaria com você uma troca de lugar. Apesar de todas as suas lutas, prantos e dor, o anjo trocaria com você sem objeções. Você se converteria num anjo, e o anjo, em um cristão. Entretanto, seria uma transação absolutamente injusta: o negócio acabaria sendo muito superior para o anjo.  Apesar do sofrimento e do desânimo espiritual, o que interessa aos anjos é a grandeza da salvação dos que conhecem a Jesus. Sendo assim, destaco que os crentes em Cristo, deveriam também ocupar os seus pensamentos com essa bênção grandiosa.

Momento de Reflexão: Se os problemas, as adversidades e as tribulações estão sobre a sua vida como uma tempestade sem fim, ponha os olhos na sua salvação e nas promessas de Deus. Se você assim o fizer, terá uma perspectiva diferente e se animará (João 16:33).

Em Cristo,

Pr. Natanael Gonçalves

 

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *