A Religião verdadeira e a falsa.


by

Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante (Gênesis 4.3-5).

Adão e Eva foram os responsáveis pela entrada do pecado no mundo. Acontece, porém que o pecado sempre produz uma amarga colheita. Não foi diferente com eles e não será com ninguém. Observemos que essa condição afetou, não somente a vida do casal, mas também a de seus filhos (sem falar em toda a humanidade). Vejamos: Caim, o primeiro filho, se converteu em um assassino ao matar seu irmão mais novo, Abel. Ambos foram educados nas coisas do Senhor e os dois levaram ofertas a Deus. Caim trouxe a oferta procedente da terra maldita (Gn 3:17-19), isto é, uma oferta do fruto da terra, como sacrifício, a qual foi rejeitada pelo Senhor, pois Deus requer sacrifício de sangue como expiação do pecado (Hebreus 9:22). Por outro lado, a oferta de Abel foi aceita, uma vez que ele cumpriu os requisitos. O Senhor deu oportunidade a Caim de oferecer o tipo de sacrifício aceitável, mas, ele, cheio de ira, recusou fazer o que Deus exigia (Gn 4:4-7). Em sua ira, derramou sangue, mas não de um animal e sim, de seu irmão Abel, cometendo assim, um assassinato.

A “religião” de Caim, não produziu amor para com Deus e nem para com o seu irmão. A consequência chegou e ele foi expulso da presença do Altíssimo (Gn 4:11-14). Depois disso, o Senhor deu outro filho a Adão e Eva, o qual foi chamado de Sete. Seus descendentes cultuaram a Deus como havia feito Abel e invocaram o nome de Jehová (Gn 4:25-26).

A oferta de Abel foi aceita porque ele sabia que era pecador e que somente seria perdoado através da morte de um animal inocente. Ele confiava que Deus o perdoaria porque um substituto imaculado havia sido morto em seu lugar. Sabemos que a morte de um animal, nunca poderia pagar o preço dos pecados de Abel nem dos nossos, tampouco. Todavia, o sacrifício de Abel, apontava para o futuro sacrifício, muitos séculos depois, do Salvador prometido.

Agora, pare e pense: Um grande número de pessoas ainda não aprendeu que, para se ir a Deus, é preciso observar estritamente as condições estabelecidas pelo próprio Deus. Imaginam que as suas boas obras e suas vidas honradas lhes garantem a aceitação por parte do Todo-Poderoso. Não entendem que são pecadores incapazes de estar à altura das normas santas de Deus. Por conseguinte, o ser humano só pode ir em direção a Deus através do único caminho que é Jesus (João 14:6; Atos 4:12). A mensagem da cruz pode parecer loucura (1 Coríntios 1:18), mas, somente por meio do sacrifício e do sangue derramado de Jesus lá na cruz do Calvário, é que o homem encontra perdão e limpeza do pecado (Efésios 1:7; 1 João 1:7).

Pr. Natanael Gonçalves

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *